Se você é uma daquelas pessoas que coloca todas as moedas que consegue em um cofrinho e as esquece lá, pode ser que você possua um tesouro escondido sem saber.

Publicidade

Veja também

Publicidade

E não exagere nesta informação. O mercado de moedas raras está em ascensão e os critérios de raridade podem ser tão simples quanto um asterisco.

Numismática

Publicidade

A responsável pelo aquecimento desse mercado é a numismática, uma atividade cujos especialistas chamados de numismatas se dedicam a colecionar moedas e medalhas raras.

Por isso, seria bom dar uma boa olhada em seu cofrinho para conferir se lá dentro está uma certa moeda que vamos descrever logo mais abaixo. Então, continue a ler este artigo e boa sorte.

Faltando um zero

A moeda em questão foi cunhada pela Casa da Moeda em 2012 e apresenta um erro de impressão. É uma moeda de cinqüenta centavos (R$ 0,50) com um zero faltando que a transforma em uma moeda inexistente de R$ 0,05.

No mercado numismático, essa moeda é avaliada por especialistas entre R$ 1.500 e R$ 1.800. Quem poderia imaginar tal coisa? Um erro de impressão e esta moeda de R$ 0,50 é hoje uma das mais raras e procuradas por colecionadores brasileiros. Esta é uma fonte incomum de renda extra nesta fase de escassez de dinheiro.

Outras moedas valiosas

E não só esta moeda está na mira dos numismatas. Muito recentemente, uma arrecadação de moedas de R$ 1,00 em comemoração às Olimpíadas do Rio de Janeiro chegou a R$ 7 mil.

Moedas de ouro raríssimas cunhadas durante o Brasil Império para homenagear a coroação de Dom Pedro I valem mais de R$ 2,7 milhões em leilões internacionais.

Dom Pedro I

E tornaram raras por uma crise de soberba do primeiro imperador do Brasil. Dom Pedro I não gostou de seu busto cunhado no verso da moeda e simplesmente mandou recolher todas elas, ou quase todas. Pouquíssimas restaram disponíveis.

Como se viu, uma moeda torna-se rara por causa de pequenos detalhes., e não apenas por sua idade. Entre os requisitos considerados pelos colecionadores estão:

  • O estado de conservação da moeda (ou da cédula).
  • O país em que a moeda foi cunhada ou a nota impressa. O Brasil chegou a imprimir cédulas de R$ 50 no exterior.
  • O número de moedas cunhadas em determinado ano.
  • Quanto menos moedas cunhadas, mais raras e valiosas elas serão.

Fonte: Pronatec