Saiba como evitar fadigas financeiras e iniciar um novo plano financeiro, mesmo ganhando pouco

Publicidade

Com os preços em alta, 2023 exigirá ainda mais atenção às finanças pessoais. Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o endividamento das famílias aumentou significativamente em 2022, superando os anos anteriores com uma participação de 77,9%.

Publicidade

Veja também

Publicidade

Na maioria dos casos, o principal motivo para chegar a essa situação é a falta de planejamento. Pensando nesse cenário, o educador financeiro Lucas Silva, fundador da edtech Professor Lucas Silva Certificações, compartilha algumas dicas da Bússola para quem busca sair do vermelho e assumir o controle da vida financeira.

Muitas vezes nos encontramos mergulhados nas dívidas e não encontramos saída. Para iniciar, é importante colocá-las na mesa para saber por onde começar. Isso pode diminuir até a ansiedade, porque estará sob o seu controle. Separando as dívidas, verifique as prioridades e crie um plano para pegá-las. Corte gastos desnecessários para o momento e junte o máximo de dinheiro que conseguir, até chegar no seu objetivo. 

Cuidado com o cartão de crédito 

Pode ser seu melhor ou pior amigo, basta saber como usá-lo. A dica é parcelar apenas o mais necessário e verificar se sua renda corresponde às suas despesas. Acumular parcelado nunca é um bom caminho, sua conta continuará cobrada e você só vai perceber quando estiver apertada. Portanto, controle-se e fique sempre de olho nas suas faturas dos meses seguintes para ver quanto pode gastar.

Seja organizado 

Pode parecer esmagador, mas ter um plano sempre será a melhor maneira de alcançar o sucesso financeiro. Minha dica é criar um plano que inclua despesas fixas: aluguel, internet, carro e casa, escola dos filhos, faculdade, entre outros. Despesas variáveis: eletricidade, água, gás. Despesas adicionais: quando o carro quebra, quando a casa precisa de alguma manutenção inesperada e até mesmo um problema de saúde imprevisto. Por último, mas não menos importante, reserve algum dinheiro para entretenimento, uma viagem ou qualquer outro destino.

O professor destaca a importância de as pessoas se organizarem para ter conforto financeiro em meio à crise. “Com essas dicas, é muito provável que as dívidas sejam eliminadas ou reduzidas com o tempo. A educação financeira é fundamental para evitar gastos excessivos com coisas desnecessárias”.

Fonte: Exame


Aguarde Saiba Mais