Split pix é uma armadilha? entenda porque

Desde o lançamento do Pix parcelado, o método de transferência de dinheiro – que, aliás, não exige saldo de conta para usar – foi aprovado pela maioria dos usuários, ainda mais porque “quebra o lucro” de maiores precisa em nenhum momento. No entanto, mesmo que tenha se tornado tão popular, é preciso ter cuidado com a ferramenta.

Mas como “cuidar”? Na matéria desta terça-feira (25), o Notícias Concursos mostra os lados positivos e negativos do Pix em parcelas. Então, continue lendo para saber todas as informações relacionadas ao tema.

Pix parcelado: como funciona?

O Parcelamento Pix é um tipo de modalidade de crédito que se diferencia do Pix convencional porque os usuários o utilizam mesmo não tendo saldo em sua conta. Caso o cliente tenha um limite de crédito disponível, o banco imediatamente empresta o valor para a conta e transfere para o parcelamento da fatura. No entanto, a funcionalidade possui taxas e juros, algo semelhante aos empréstimos.

Também é importante observar que esse tipo de transação não é uma forma de pagamento que o banco central tenha como oficial. Embora já faça sucesso em algumas instituições, o recurso não será anunciado formalmente até 2023. As instituições bancárias estão, portanto, antecipando a ferramenta para os usuários.

Por que a ferramenta pode ser uma armadilha para algumas pessoas?

Mesmo para facilitar o pagamento de contas, principalmente quando é necessário pagar à vista, é preciso ter cuidado com o uso indiscriminado do Pix para parcelamento. Mas por que? Porque com essa modalidade é fácil perder o controle de suas finanças, pois é uma forma de ter dinheiro de forma fácil e rápida, mas com juros.

Em suma, quando os usuários estão pensando em usar essa modalidade, devem considerar todas as taxas associadas ao parcelamento. Assim, eles poderão determinar se o contrato de empréstimo é válido ou não. Além disso, o pagamento parcelado pode ser um pequeno gatilho de inadimplência, como acontece com os cartões de crédito.

Vale ressaltar que as parcelas do instrumento passam a incidir encargos assim que a transação é efetivada. No entanto, se o usuário fizer várias compras durante o mês, é interessante ter certeza de que ele terá dinheiro suficiente para quitar as passagens que expiram.

Enquanto isso, dividir o Pix pode ser uma boa ideia em algumas situações. Por exemplo, se a compra tiver um bom desconto à vista, algo que compense os juros que incidirão nas parcelas. Por isso, o cliente deve ficar atento antes de fechar o contrato e sempre conferir com atenção a simulação na tela que antecede a confirmação da transação.

Fonte NoticiasConcursos


Aguarde Saiba Mais
[Total: 4 Votos: 2.5]

Deixe um comentário