Coreia do Sul quer banir jogos com NFT

Em um momento no qual grandes nomes da indústria, como a Ubisoft e a Square Enix, se comprometem em explorar os NFTs em seus jogos, o governo da Coreia do Sul está agindo para limitar a quantidade de games com a tecnologia que chegam ao mercado. Segundo o GameRant, o Comitê de Gerenciamento de Jogos do país está trabalhando para banir das lojas Google Play e App Store quaisquer títulos que dependem da compra de NFTs para serem jogados.

Além de impedir que novos games que usam o modelo “jogar para ganhar” (pay to earn, em inglês) cheguem aos jogadores, a entidade também pede que títulos que usam o sistema sejam removidos das lojas. Para completar, ela vai passar a negar qualquer tipo de classificação etária para esses jogos, algo que é exigido para qualquer aplicativo que queira ser oferecido por meios legais dentro do país.

Imagem: Divulgação/TheDigitalArtist/Pixabay

A decisão do governo da Coreia do Sul é baseada em preocupações geradas pela associação de jogos do tipo a práticas que muitos consideram como jogos de azar e a “esquemas especulativos para ganhar dinheiro”. O país é bastante restritivo em relação a games que oferecem recompensas que podem ser trocadas por moedas reais, estabelecendo um limite máximo de 10 mil Wons Coreanos para prêmios do tipo (valor equivalente a pouco mais de R$ 46).

Coreia do Sul tem forte histórico de restringir monetização

Enquanto para alguns a preocupação das autoridades da Coreia do Sul com os jogos em NFT pareça exagerada, o país tem um histórico documentado de restringir e banir meios de monetização que considera abusivos. Durante os anos 2000, as autoridades locais trabalharam para regular o jogo Sea Story, que em essência era uma máquina de caça-níqueis que oferecia certificados de presente como recompensa.

Mesmo respeitando as restrições do país aos jogos de azar, o game logo se tornou o centro de polêmicas graças ao fato de que muitas lojas passaram a se especializar na compra dos certificados que eram emitidos. Isso levou ao aumento das atividades do crime organizado e esquemas de lavagem de dinheiro — algo que o governo local parece acreditar que pode acontecer com os títulos que usam NFTs.– Continua após a publicidade

Apesar da decisão contrária aos jogos com a tecnologia, o Comitê de Gerenciamento de Jogos afirma que não se opõe a soluções como o blockchain e as criptomoedas. O órgão afirma que agiu simplesmente para combater “especulações” e que seu objetivo não é inibir a adoção de tecnologias novas que possam se mostrar lucrativas.

[Total: 0 Votos: 0]

Deixe um comentário